2020, o ano em que a Terra parou

Há exatamente 1 ano atrás eu estava na Japan House visitando a exposição “Isto é mangá” no dia 29/Dez/2019. Eu estava empolgado com 2020, pois todos os domingos de Janeiro fizemos origami no SESC Campinas e aconteceu o encontro de ex-alunos da Unicamp. Quem poderia esperar o 2020 que viria pela frente?

https://www.instagram.com/p/B6rEe8WnAAh

Uma pausa no mundo

Muitas pessoas que ficam doentes ou sofrem acidentes graves acabam transformando o período em que sua vida normal é interrompida para refletir sobre o que realmente importa.

Segundo a teoria de Gaia, a Terra é como um grande organismo vivo e cada ser humano é uma célula. 2020 está sendo como um período de REFLEXÃO para todos nós.

Surpresas da vida

Quando a pandemia começou e veio o isolamento, perdi os contratos de origami com o SESC e as palestras foram interrompidas. Da noite para o dia, o mundo se tornou Home Office e Homeschooling. As pessoas se viram obrigadas a aprenderem como dominarem as ferramentas digitais e vivemos em menos de 1 anos uma transformação digital que levaria mais de uma década.

Decidi voltar a me dedicar à Vida Digital e ajudar as pessoas a usarem a tecnologia a seu favor. Eu nem lembrava, mas há 6 anos atrás eu havia decidido escrever um livro cujo título seria “Vida Digital e Felicidade”.

Ver post http://marciookabe.com.br/vida-digital-e-felicidade/

Vida Digital

Vida Digital é um livro de Nicholas Negroponte que li há mais de 25 anos atrás e na época achei tudo que ele falava algo muito futurista:

Abundância vs Escassez

A pandemia do COVID-19 fez a economia mundial entrar em crise, mas será que vivemos um mundo de escassez? Com acesso à internet banda larga, 4G e smartphones conectados 24h acredito que vivemos um período de abundância e possibilidades.

Acredito que grande parte da escassez está na nossa MENTE. Grande parte da nossa cultura nos ensina a competir, a economizar e que os recursos são escassos. A história do Céu e Inferno ilustra bem esta ideia.

Deus convidou um Rabino para conhecer o céu e o inferno.
Ao abrirem a porta do inferno, viram uma sala em cujo centro havia um caldeirão onde se cozinhava uma suculenta sopa.

Em volta dela, estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher de cabo tão comprido que lhe permitia alcançar o caldeirão, mas não suas próprias bocas.
O sofrimento era imenso.
Em seguida, Deus levou o Rabino para conhecer o céu.

Entraram em uma sala idêntica à primeira: — havia o mesmo caldeirão, as pessoas em volta, as colheres de cabo comprido.
A diferença é que todos estavam saciados.
“Eu não compreendo”, disse o Rabino.
“Por que aqui as pessoas estão felizes, enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual?”.
Deus sorriu e respondeu: — “Você não percebeu?
É porque aqui eles aprenderam a dar comida uns aos outros.”

Saindo da Matrix

As escolas foram colocadas em xeque com a pandemia e o modelo baseado em conteúdo se mostrou ineficaz. Fiz um curso incrível para usar a fotografia como forma de documentar um diário da quarentena. O que percebi foi que obrigar meu filho de 10 anos (agora 11) a assistir 4h de aula e ainda fazer lições de casa não havia razão lógica. Estávamos apenas cumprindo as regras da “paisagem cultural” como fiz Vishen Lakhiani da Mindvalley.

Voltamos a matricular o meu filho na rede pública e tudo ficou mais leve. O mais importante não é o conteúdo, mas sim a FAMÍLIA.

Em busca do IKIGAI

Comecei o ano vivendo meu IKIGAI como origami e palestras. A vida me conduziu para ajudar outras pessoas a trilharem sua Jornada Ikigai.

2021, o ano em que a Terra acordou…

Já dizia Raul Seixas…

Originally published at http://marciookabe.com.br on December 30, 2020.

Sou apaixonado em conectar pessoas e compartilhar conhecimento. Visitem MarcioOkabe.com.br/sobre

Sou apaixonado em conectar pessoas e compartilhar conhecimento. Visitem MarcioOkabe.com.br/sobre